MAAT - Museu de Arte, Tecnologia e Tecnologia

O nosso trabalho nas áreas de Arquitetura, Design e Moda envolve exposições, seminários, workshops, projetos colaborativos, iniciativas educativas e visitas de especialistas ao Reino Unido, sendo realizado em conjunto com os nossos colegas e parceiros em Portugal. A nossa equipa de especialistas com sede em Londres proporciona aconselhamento e informações sobre as mais recentes tendências da arte contemporânea do Reino Unido

Trabalhamos em parceria com instituições de renome internacional, tais como o MUDE, a Experimenta Design e a Trienal de Arquitectura de Lisboa. Simultaneamente, colaboramos com pequenas organizações, designers individuais e arquitetos, visando apoiar o desenvolvimento profissional e promover o empreendedorismo.

Um dos projetos em curso é uma importante parceria com a Trienal de Arquitetura de Lisboa.

Back of the Envelope é um projeto e blog do departamento de arquitetura, design e moda do British Council, através do qual divulgamos o desenvolvimento dos nossos projetos a nível mundial e publicamos um relatório sobre o que está a acontecer no Reino Unido.

MAAT Museu de Arte, Tecnologia e Tecnologia
Instalação do grupo de artistas britânicos Semiconductor 

05 de outubro 2016

O MAAT – Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia é a nova proposta cultural para a cidade de Lisboa. Um museu que cruza três áreas num espaço de debate, de descoberta, de pensamento crítico e de diálogo internacional. Um projeto inovador que coloca em comunicação um novo edifício, desenhado pelo atelier de arquitetura Amanda Levete Architects, e a Central Tejo, um dos exemplos nacionais de arquitetura industrial da primeira metade do século XX, e um dos polos museológicos mais visitados do país.

O MAAT traduz a ambição de apresentar exposições nacionais e internacionais com o contributo de artistas, arquitetos e pensadores contemporâneos. Refletindo sobre grandes temas e tendências atuais, a programação apresentará ainda diversos olhares curatoriais sobre a Coleção de Arte da Fundação EDP.

No dia 05 de Outubro, o novo edifício vai abrir ao público, com a primeira parte do projeto Utopia/distopia, um novo trabalho de Dominique Gonzalez-Foerster, concebido especialmente para o espaço. Nesta ocasião, os visitantes também podem ver a exposição O Mundo de Charles e Ray Eames, organizado pelo Barbican em Londres, bem como uma das exposições da Trienal de Arquitectura.

O British Council tem vindo a trabalhar em parceria com o MAAT na instalação dos artistas britânicos Semiconductor e a organizar uma masterclass com os artistas britânicos no dia 05 de outubro às 15:00, na sala Video Room do Museu MAAT, a qual o público terá acesso livre. Para mais informações sobre o trabalho dos artistas ver http://semiconductorfilms.com/

Para mais informação sobre o programa do Museu MAAT https://www.maat.pt

 

2016 – Concurso: Imagina a moda do futuro!

Os participantes tiveram de pensar num objeto de moda (roupa, jóia, ou acessório) a ser melhorado ou ampliado com ajuda de tecnologia. Os concorrentes enviaram um texto curto, ilustração ou video, e os selecionados tiveram a possibilidade de participar em Masterclasses, e os vencedores ganharam uma viagem a Londres para visitar vários ateliers.

Mais informações sobre o FashionHub em Guimarães e o video do vencedor

A Plataforma de Moda e o British Council anunciaram uma convocatória dirigida a designers de moda da região Norte de Portugal com projetos inovadores nas seguintes áreas: vestuário em malha, alfaiataria/tailoring, têxteis e acabamentos, moda masculina, estamparia e cor, calçado, acessórios e criação de perfumes.

Os seis designers selecionados pela Fashion Hub de Guimarães Cidade Europeia da Cultura 2012 expuseram as suas coleções na Somerset House, o principal local de exposição e eventos da London Fashion Week 2012.

Como parte da Plataforma da Moda Guimarães 2012 Fashion HUB, em maio de 2012, foi anunciado o designer selecionado para representar Portugal no The British Council Young Entrepreneur/ Fashion Award. O prémio foi atribuído a João Pedro Filipe.

João Pedro Filipe é natural da Nazaré e em 2002 formou-se em Design de Moda pelo CITEX, Porto. No ano 2000 vence o concurso Novos Talentos Óptimus, prémio que lhe dá a possibilidade de apresentar no Portugal Fashion/Porto Fashion Week. Ainda nesse ano, é nomeado na categoria de Criador Revelação, nos Prémios de Moda RTP. 

Em 2001 vence o 1º prémio do concurso de Jovens Criadores Portugal de Moda da FIL e recebe o 2º prémio do júri do Porto de Moda 2001, e representa Portugal no concurso MITELMODA Awards em Itália. Em 2006 concebeu o guarda-roupa para a personagem Rita, do filme Veneno Cura, segunda longa-metragem de Raquel Freire. 

Em 2008, terminada a pós-graduação no Programa Internacional de Design de Moda, no Institut Français de la Mode (IFM), Paris, estagia no atelier de Felipe Oliveira Baptista, Paris. No decorrer da formação é selecionado pela Louis Vuiton para a execução de um projeto de calçado e acessórios. Em 2010 abre o Estúdio João Pedro Filipe, gabinete de Design de Moda e Calçado e faz o acompanhamento de produções.

João Pedro Filipe

Video: O vencedor do prémio British Council’s Young Creative Entrepreneur Award 2012 – João Pedro Filipe

Será possível vencer a crise com uma bolsa de 500 euros?

Incluído no programa da 3.ª edição da Trienal de Arquitectura de Lisboa, Crisis Buster é um projeto que atribuiu subsídios visando projetos de caráter social, comunitário e cultural  para a cidade de Lisboa e os seus habitantes.

O British Council tem o prazer de ser patrono de um dos projetos Crisis Buster: "Juventude na Street".

O projeto "Juventude na Street" tem como objetivo criar um espaço para um grupo de jovens, raparigas com idades compreendidas entre os 10 a 17 anos, no bairro de habitação social da Horta Nova, uma comunidade onde os jovens são deixados sozinhos grande parte do dia sem a supervisão de um adulto. O projeto inclui a renovação de um espaço comunitário no bairro, renovação que será concebida por um arquiteto e realizada pelo grupo de jovens.

A Grã-Bretanha na Bienal de Arquitetura de Veneza

Desde 1991, o British Council oficializou a entrada britânica na Bienal de Arquitetura de Veneza. Desde a sua criação, a Bienal tem servido como uma plataforma internacional, muito dinâmica, para a arquitetura e para as questões implícitas fundamentais sobre a sociedade e do espaço. Em 2012, o Pavilhão Britânico foi o anfitrião da Venice Takeaway, que apresentou o trabalho de 10 equipas de arquitetura responsáveis pelo estudo de projetos de todo o mundo. Em 2010, sob a direção do MUF, o Pavilhão apresentou uma exposição intitulada Villa Frankenstein.

Artigo: Evolução Industrial nos setores da tecnologia digital; design e moda no Reino Unido (apenas em inglês)

This article was handed out at the Bart Hess workshop during the Trienal de Arquitetura de Lisboa.

In recent years the UK has built a reputation as a leader in the application of digital technology to the design and fashion industries. Ironically the new digital revolution allows for things to be made in smaller numbers. The digital is not about mass production and standardisation but the very opposite: it is about individualisation and customisation.

As a result the current revolution is having a greater impact on the arts and design than previous ones. Digital technologies are easily adaptable and therefore are well suited for experimenting, or at least designers might feel there is more space to experiment without the risk of economic commitment.

Although this could be mistaken for a contemporary trend, the UK’s strength in digital technology has a longer history when understood in the context of the industrial evolution that began as far back as the mid eighteenth-century. The concept is something deeply embedded in the history of Britain since the advent of the Industrial Revolution. It was then that scientific and technological research started to become more interconnected and also closely associated with academic research and universities. It is on these foundations that the current new ware of digital technology is fast developing in the UK. Already innovative digital techniques of manufacturing materials such as 3D printing, laser cutting and digital printing have been entering the mainstream of industry and offering new possibilities for design production and fashion in Britain.

A key role in the process, particularly in Britain, is played by the design education system, which is constantly challenging the status quo of manufacturing processes by making new production technologies available to the their students. Courses such as the MA Textile Futures at Central St Martins, or the fashion and product design courses at the Royal College of Art contributed to this process as a platform for the research applied both to fashion and design.

In order to keep up with the pace of evolution of digital technology in the global context, there has to be a substantial amount of research into materials and manufacturing processes. London-based experts such as Chis Lefteri are constantly researching and testing new materials, and acting as mediators between manufacturers and designers. Among the leading creative practices is London based Bart Hess, which with its ground-breaking projects is actively contributing in shaping the digital technology revolution in Britain.

This unique combination of research, skills and training that focuses on the application of digital technology to design and fashion, has led to the UK becoming a hub and incubator for creativity that is looked to by independent practices from around the world.

For further research:

www.britishcouncil.pt
https://www.facebook.com/BritishCouncilPortugalArts
https://twitter.com/ptBritishArts

Crédito de fotografia

©Lara Torres 2011

video still do filme de Moda 'An impossible wardrobe for the invisible' 

Concept and art-direction: Lara Torres | Co-direction: Pedro Fortes
Camera: Pedro fortes | Performer: Joana Areal

Ver também

Ligações externas